quarta-feira, 28 de março de 2018


Nações para Cristo o SENHOR

Você ama vidas?
Você se importa com a vidas?
Você quer o melhora para as vidas?
Você faz alguma coisa por vidas?
Se fosse você o necessitado, o que faria?
Podemos contar com você?
Queremos ir o mais longe por amor a vidas.

Nações na Bíblia
Como é feliz a nação

que tem o Senhor como Deus,
o povo que ele escolheu para lhe pertencer! 


Então, Jesus aproximou-se deles e disse: "Foi-me dada toda a autoridade nos céus e na terra. Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, 



E Deus ainda lhe disse: "Eu sou o Deus todo-poderoso; seja prolífero e multiplique-se. De você procederão uma nação e uma comuni­dade de nações, e reis estarão entre os seus des­cendentes. 



Louvem o Senhor, todas as nações;

exaltem-no, todos os povos! 


Inclinem-se diante dele todos os reis,

e sirvam-no todas as nações. 


Farei tremer todas as nações, as quais trarão para cá os seus tesouros, e encherei este templo de glória", diz o Senhor dos Exércitos. 



E é necessário que antes o evangelho seja pregado a todas as nações. 



Todas as nações serão reunidas diante dele, e ele separará umas das outras como o pastor separa as ovelhas dos bodes. 



Todas as nações que tu formaste

virão e te adorarão, Senhor,
e glorificarão o teu nome. 


Todos os confins da terra

se lembrarão e se voltarão para o Senhor,
e todas as famílias das nações
se prostrarão diante dele, 
















terça-feira, 27 de março de 2018

Porque  ofertar?
As ofertas
 ”Ninguém pode servir a dois senhores; pois odiará um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro”. “Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro.” (Mateus 6:24)
Para algumas pessoas, o dinheiro é um deus, e dessa forma, pode ser amado, receber dedicação e reconhecimento, segundo Jesus.
Para qualquer área da nossa vida precisamos de mais que dinheiro, como por exemplo, em problemas jurídicos. As vezes alguém diz: Orei, mas o dinheiro que eu tinha também me ajudou.
Deus é o único provedor de nossas necessidades. Então, por que na maioria das vezes buscamos o dinheiro primeiro e deixamos Deus por último? É porque fizemos dele um deus em nossa vida, um salvador pessoal de nossas necessidades financeiras.
Por que o primeiro mandamento é “Não terás outros deuses além de mim?” Porque Deus não divide Sua honra e sua glória com ninguém. Adore, louve e confie em Deus sempre.

Dízimos e ofertas
” Dai a César o que é de César … ” (Mateus 22:21)
Para que um reino exista, é necessário que se tenha um rei, cidadãos, leis que regem a todos, cidades, impostos para sustentar o reino, etc …
Os impostos são o investimento do cidadão no reino. A arrecadação desses tributos, posteriormente, é devolvida em forma de benefícios como: ensino público de qualidade; saúde investida com moderna tecnologia médica; segurança equipada oferecendo ao cidadão tranquilidade para ir e vir; pavimentação das ruas, arborização de praças, novas estradas; melhoras na iluminação pública e reparos em ruas e avenidas; conservação do meio ambiente e patrimônios públicos.
Toda benfeitoria feita pelo governo, em qualquer uma destas áreas traz benefícios ao cidadão, mas não significa nenhum favor ou bondade por parte do governante. Às vezes elogiamos o prefeito, o governador e o presidente pelas grandes obras realizadas, porém os canteiros de obras que vemos diariamente nada mais são do que a devolução dos tributos investidos, aplicados na melhoria de condições de vida do povo. A nação cresce quando o cidadão cresce.

” … e a Deus o que é de Deus.” (Mateus 22:21b)
O Reino de Deus tem:
  •  Um Rei – Jesus;
  •  Governos – Os Ministros; “
  •  Leis – A do Amor;
  •  Cidadãos – Os nascidos de novo;
  •  Juiz – O próprio Deus;
  •  Impostos-Dízimos e Ofertas.
Se a César (governo) cabe reverter os tributos pagos pelos cidadãos em obras que beneficiam o povo, quanto mais a Deus, cuja palavra não muda nem falha.
Sob a lei dos dízimos e ofertas, o homem se toma um investidor do Reino Eterno, e assim, tem retorno econômico assegurado. A observação dessa lei faz crescer o reino e o contribuinte fiel.
Em primeiro lugar, toda contribuição deve ser voluntária, ou seja, sem nenhuma espécie de coação; o desejo de dizimar e ofertar deve brotar de forma voluntária no coração de cada um. Isto é uma questão de fé na palavra de Deus.
Em segundo lugar ela é metódica, não é desorganizada.
Por fim, a contribuição cristã deve seguir a exigência de dar conforme a prosperidade que se tem alcançado.
1º  Cada um dê conforme determinou em seu coração, não com pesar ou por obrigação, pois Deus ama quem dá com alegria. II Coríntios 9: 7
2º  No primeiro dia da semana, cada um de vocês separe uma quantia, de acordo com a sua renda, reservando-a para que não seja preciso fazer coletas quando eu chegar. I Coríntios 16:2

Dízimo: Mesmo antes de a lei ter sido dada por Deus a Moisés, o dízimo já era uma prática de se ofertar a Deus.
Amplamente divulgado por toda bíblia, foi efetivado como condição única para obtenção da benção econômica. Podemos citar dois exemplos de personagens bíblicos, que ofereceram seus dízimos antes mesmo de se tomar uma Lei Divina:
  • Abraão – “E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou seus inimigos em suas mãos.” (Gênesis 14:20)
  • Jacó – “E essa pedra que hoje coloquei como coluna servirá de santuário de Deus; e de tudo o que me deres certamente te darei o dízimo.” (Gênesis 28:22)

Do que devo dar o dízimo?
– Salário, negócios, vendas, presentes.
O DÍZIMO É: 10% DE TUDO O QUE GANHO.
O valor: Na própria palavra já está estabelecido o valor do dízimo: dez por cento (10%) de tudo quanto se ganha. É um valor mínimo de quanto devo oferecer ao Senhor.
CALCULE O DÍZIMO DESTE VALOR:
“Se eu ganho R$ 1.348,00, meu dízimo é de:
1º – O ato de dizimar frequentemente dá ao homem autoridade no Reino do Espírito para viver debaixo das bênçãos econômicas. Pagamos por tudo o que temos, mesmo antes de ter. No reino de Deus não é diferente, se paga no mundo espiritual, obter o direito ao sucesso financeiro. Deus diz que abençoará quem trouxer seus dízimos no altar.
 “Tragam o dízimo todo ao depósito do templo, para que haja alimento em minha casa. Ponham-me à prova, diz o Senhor dos Exércitos, e vejam se não vou abrir as portas dos céus e derramar sobre vocês tantas bênçãos que nem terão onde guardá-las. Impedirei que pragas devorem suas colheitas, e as videiras nos campos não perderam seu fruto, diz o Senhor dos Exércitos. Então todas as nações os chamarão felizes, porque a terra de vocês será maravilhosa, diz o Senhor dos Exércitos.” (Malaquias 3:10-12)
Deus disse que abençoará o homem, se ele trouxer os dízimos no altar com estas bênçãos: abrirá as janelas dos céus e derramará bênção sobre a família de forma transbordante, de maneira que não você verá a glória de Deus em sua vida em tempos de escassez. O investimento deve acontecer em qualquer circunstância. Comece com o que tem, dando dos recursos que possui. Deus é fiel.
Mesmo não florescendo a figueira, e não havendo uvas nas videiras, mesmo faltando a safra de azeitonas, não havendo produção de alimento nas lavouras, nem ovelhas no curral, nem bois nos estábulos, ainda assim eu exultarei no Senhor e me alegrarei no Deus da minha salvação.” (Hebreus 3:17-18)

2º- Contribua de forma extraordinária: Aprendemos com a ignorância de nossos pais a dar somente quando há sobra ou quando não nos faz nenhuma falta. Aos famintos dá-se o resto do almoço e o pão velho destinado ao lixo, não se dá o da panela.
Os desnudos ficam com as roupas rasgadas, velhas, desbotadas e mofadas que ocupam lugar no fundo das gavetas, não se dá as roupas que estão nos cabides. Os descalços levam sapatos, sandálias e tênis descolados, rasgados e malcheirosos.
 Por isso vos digo: Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário? Mateus 6:25
Fazer o que está dentro das nossas limitações não é dar conforme a herança testamentaria deixada. Recordam do relato dos cinco pães e dois peixinhos? Era a única comida disponível daquele garotinho ali no deserto. Era sua única refeição, mas o garoto não negou a Jesus quando foi pedida.
“Aqui está um rapaz com cinco pães de cevada e dois peixinhos … ”  (João 6:9)
 Que tal a viúva que possuía duas moedas para seu sustento e podendo dar uma e ficar com a outra, preferiu investir extraordinariamente todo o seu sustento no reino.
“Todos deram do que lhes sobrava; mas ele, da sua pobreza, deu tudo oque possuía para viver.” (Marcos 12:44)
O que é comum está no nível de realização de qualquer pessoa, porém o fora do comum apenas os filhos com amor extravagante ao Pai estão aptos a fazer.
“Vocês ouviram o que foi dito: ‘Ame o seu próximo e odeio o seu inimigo. Mas eu lhes digo: Amem os seus inimigos e orem por aqueles que ospersegue…” (Mateus 5:43-44)
Ultrapassar os limites da capacidade, e ir além do que naturalmente se pode, requer uma atitude extraordinária de sacrifício e fé. Isto agrada a Deus.
3º- Crer nos resultados todo tempo: enquanto a semeadura leva dias ou semanas, a colheita leva meses. O agricultor precisa ser paciente. Seria despretensioso você plantar uma semente hoje e amanhã pela manhã estar ali cavando o lugar onde foi plantada, para ver se germinou. Do plantio à colheita, ela passa por um processo natural de desenvolvimento que leva algum tempo.
Umas sementes levam mais tempo, outras menos.
Também é possível que durante esse tempo de espera, tenhamos muitos problemas. Precisamos ter calma e crer. Não é pelo fato de uma forte tempestade ou um longo período de seca ter destruído a colheita, que o agricultor desiste de fazer novos investimentos na terra; ser paciente é não desanimar, é crer o tempo todo nos resultados.
 “Só porque um amigo nos trai, significa que não vamos confiar em mais ninguém? Alguém pode dizer: investi amor e fui traído. Investi amizade e fui insultado. Podemos sofrer alguns reverses, porém a lei da semeadura e da colheita é tão imutável quanto às verdades de Deus.” (John Haggai).
CONCLUSÃO
Deus busca o crescimento da sua obra na terra, e prometeu uma bênção especial para os que O honram com seus bens materiais.
A prosperidade do Reino de Deus está diretamente ligada à prosperidade do povo que investe nEle.
Os investidores (dizimistas e ofertantes) por natureza praticam este princípio, sabem que no fim receberão de volta bênçãos financeiras multiplicadas sem medida acima do que investiram.
“Enquanto durar a terra, plantio e colheita; frio e calor, verão e inverno, dia e noite jamais cessarão.” (Gênesis 8:22)


segunda-feira, 26 de março de 2018

FORÇA PARA VENCER OS GIGANTES


Quais são os gigantes que você está enfrentando hoje?
• Desemprego, dívida, doença, depressão, perigo, abandono, abuso, tragédia, contas, ponto fraco, rejeição, relacionamento quebrado, incapacidade, drogas, hábito destrutivo, tentação, discriminação, medo, falha no passado, restrição, raiva, culpa etc.
Você ouve seus gigantes gritando?
• “Você não é qualificado para esse desafio!”; “Você não é bom o suficiente!”; “Você não vai conseguir pagar as contas!”; “Ninguém vai querer andar com você!”; “Você não tem um futuro brilhante!”; “Sua vida é uma fraude!”…
Levante-se agora e enfrente seus gigantes usando a mesma tática que Deus deu a Davi!
• Você está pronto para dizer adeus a derrota e começar uma vida vitoriosa com Deus?
• Você está pronto para descobrir sobre como enfrentar os gigantes que enfrenta hoje?
• Você está pronto para conhecer as armas que Deus prepara e para conquistar a vitória?
• Você está pronto para participar do campo de batalha da vida e ter certeza da presença de Deus ao seu lado?
• Você está pronto para cortar a cabeça do inimigo e superar totalmente todo o engano do diabo em sua vida? Você está pronto?
I. Conecte-se na fonte de poder – v.37
Disse mais a Davi: o Senhor me livrou das garras do leão e das do urso; ele me livrará das mãos destes filisteus. Então, disse Saul a Davi: Vai-te, e o Senhor seja contigo. (1 Sm 17.37)
Davi não disse que o Senhor livrou os seus rebanhos do leão e do urso, mas ele disse: “O Senhor que me livrou”. O Senhor é a fonte do poder de Davi. Todos os nossos aparelhos eletrônicos serão inúteis se não estiverem conectados à fonte de energia elétrica. Nós também nunca teremos vitória se a fonte do nosso poder não for nosso Deus. O povo de Deus na Bíblia recebeu força através do derramamento e do poder de Deus.
Tomou Samuel o chifre de azeite e o ungiu no meio de seus irmãos; e, daquele dia em diante, o Espírito do Senhor se apossou de Davi. (1 Sm 16.13 / 18.14)
Como Davi nós também recebemos poder e unção. Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda Judéia e Samaria e até aos confins da terra. (At 1.8)
Paulo testemunhou: A minha palavra e a minha pregação não consistiram em linguagem persuasiva de sabedoria, mas em demonstração do Espírito e de poder, para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria humana, e sim no poder de Deus. (1 Co 2.4-5)
II. Escolha as armas certas – vs.38-40
Davi não usou a armadura de Saul, mas em vez disso usou a arma que o Senhor lhe havia dado. A armadura terá o seu lugar a seu tempo, mas agora é a hora de usar as pedras.
1. A pedra do passado
Disse mais a Davi: O Senhor me livrou das garras do leão e do urso; ele me livrará das mãos destes filisteus. (1 Sm 17.37)
Lembrai-vos das maravilhas que fez, dos seus prodígios e dos juízos dos seus lábios, vós descendentes de Israel, seu servo, vós, filhos de Jacó, seus escolhidos. (1 Cr 16.12-13)
2. A pedra da oração
Davi muito se angustiou, pois o povo falava de apedrejá-lo porque todos estavam em amargura, cada um por causa de seus filhos e de suas filhas; porém Davi se reanimou no Senhor, seu Deus. (1 Sm 30.60)
Tem misericórdia de mim, ó Deus, tem misericórdia, pois em ti a minha alma se refugia; à sombra das tuas asas me abrigo, até que passe as calamidades. (Sl 57.1 / 59.16 / Is 26.3)
3. A pedra da prioridade de honrar a Deus
Hoje mesmo o Senhor te entregará na minha mão; ferir-te-ei, e tirar-te-ei a cabeça; os cadáveres do arraial dos filisteus darei hoje mesmo às aves do céu e às feras da terra; para que toda a terra saiba que há Deus em Israel; e para que toda esta assembléia saiba que o Senhor salva, não com espada, nem com lança; pois do Senhor é a batalha, e ele vos entregará em nossas mãos. (1 Sm 17.46-47)
Lembre-se que sua mais alta prioridade é honrar o nome de Deus. Davi viu Golias como uma chance para Deus se revelar! Davi sabia que ele sairia vivo da batalha? Não. Mas ele estava disposto a dar sua vida para honrar a Deus.
Seu câncer é a chance de Deus para mostrar Seu poder de cura. Seu pecado é a oportunidade de Deus para mostrar Sua graça. Seu casamento em crise pode obter o poder de Deus. Veja sua luta como a tela de Deus. Nela, Ele pintará a Sua supremacia multicolorida.
4. A pedra da paixão
Davi disse a Saul: Não desfaleça o coração de ninguém por causa dele; teu servo irá e pelejará contra o filisteu. (1 Sm 17.32)
Sucedeu que, dispondo-se o filisteu a encontrar-se com Davi, este se apressou e, deixando as suas fileiras, correu de encontro ao filisteu. (1 Sm 17.48)
Quem aposta em Davi? Quem colocou o dinheiro no garoto de Belém? Não os filisteus. Não os hebreus. Não os irmãos de Davi, nem o rei Saul. Mas Deus fez. Davi correu em direção ao seu gigante. Faça o mesmo! Paulo diz para fugirmos do pecado e da carne, mas devemos encarar o diabo e resisti-lo no nome do Senhor.
5. A pedra de persistência
Por que Davi pegou cinco pedras? Será porque Golias talvez tivesse quatro parentes do tamanho de King Kong? Creio que ele usaria as outras se errasse na primeira tentativa. Nunca desista. Uma oração apenas pode não ser suficiente. Uma pregação somente pode não derrubar as resistências. Continue a atirar as pedras que o Senhor lhe deu. A vitória é inevitável.
Disse este: Deixa-me ir, pois já rompeu o dia. Respondeu Jacó: Não te deixarei ir se me não abençoares. (Gn 32.26)
III. Mantenha seus olhos no Senhor – vs 41-47
Saberá toda esta multidão que o Senhor salva, não com espada, nem com lança; porque do Senhor é a guerra, e ele vos entregará nas nossas mãos. (1 Sm 17.47)
Não se permita ser perturbado pelo gigante
Não importa o tamanho dos obstáculos ou dos problemas, o nosso Deus é maior que eles. Não coloque os olhos no problema, mas coloque os olhos no Senhor.
Então, falou Davi aos homens que estavam consigo, dizendo: Que farão àquele homem que ferir a este filisteu e tirar a afronta de sobre Israel? Quem é, pois, este incircunciso filisteu, para afrontar os exércitos do Deus vivo? (1 Sm 17.26)
Davi, porém, disse ao filisteu: tu vens contra mim com espada, e com lança, e com escudo; eu, porém, vou contra ti em nome do Senhor dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem tens afrontado. (1 Sm 17.45)
Não desanime por causa dos detratores
Sempre haverá alguém para subestimá-lo e chamá-lo de pretensioso. Sempre haverá alguém para julgar as suas motivações, mas permaneça firme na palavra de vitória que o Senhor já liberou.
Ouvindo-o Eliabe, seu irmão mais velho, falar àqueles homens, acendeu-se-lhe a ira contra Davi, e disse: Por que desceste aqui? E a quem deixaste aquelas poucas ovelhas no deserto? Bem conheço a tua presunção e a tua maldade; desceste apenas para ver a peleja. (1 Sm 17.28 / 17.33 / 17.36)
Ponha o seu foco em Deus
Fale de vitória e não de derrota. Fale de sucesso e não de fracasso. Declare tudo aquilo que o Senhor fará.
Disse mais Davi: O Senhor me livrou das garras do leão e das do urso; ele me livrara das mãos deste filisteu. (1 Sm 17.37 / 17.46-47)
Listar as feridas não irá curá-las. Discriminar os problemas não irá resolvê-los. Categorizar as rejeições não irác removê-las. Davi retirou o gigante porque ele olhou para o Senhor.
IV. Aproveite o momento de Deus – vs 48-50
Sucedeu que, dispondo-se o filisteu a encontrar-se com Davi, este se apressou e, deixando as suas fileiras, correu de encontro ao filisteu. Davi meteu a mão no alforje, e tomou dali uma pedra, e com a funda lha atirou, e feriu o filisteu na testa; a pedra encravou-se-lhe na testa, e ele caiu com o rosto em terra. (1 Sm 17.48-49)
Voluntários para lutar contra Golias
1. Eliabe – Davi nem se quer foi incluído nos alistados antes de matar Golias. Deus pode usar um homem simples para fazer grandes coisas para Ele.
2. Saul – Líderes por posição normalmente se escondem quando o problema chega. Mas os líderes ungidos verão o problema como uma oportunidade para mostrar o poder de Deus. Quando você entristece a Deus e o abandona, você não pode mais lutar contra os inimigos como você fazia antes.
3. Jônatas – Certamente ele poderia ter lutado contra o gigante, mas ele não fora escolhido para isso. Há sabedoria em manter silêncio esperando que Deus se mova para mostrar o nosso lugar na batalha. Não fomos chamados para outra coisa senão fazer a vontade de Deus.
4. Davi – O resultado da batalha depende sempre de que lado Deus está. Um mais Deus vai sempre ser maioria. Somente no Senhor podemos ser vencedores.
V. Corte a cabeça do inimigo – v.51
Pelo que correu Davi e, lançando-se sobre o filisteu, tomou-lhe a espada, e desembainhou-a, e o matou, cortando-lhe com ela a cabeça. Vendo os filisteus que era morto o seu herói, fugiram. (1 Sm 17.51)
• Corte as más conversações, as relações que não produzem fé e santidade, os maus hábitos, a dependência dos homens, o pecado, a deslealdade, a incredulidade etc.
Quando os gigantes enviarem uma mensagem, você já sabe o que fazer:
1. Conecte-se à fonte do poder;
2. Escolha as armas certas;
3. Mantenha seus olhos no Senhor;
4. Aproveite o momento de Deus;
5. Corte a cabeça do inimigo.



Estudo Bíblico Sobre Dízimos e Ofertas: Semeando Com Alegria

Os dízimos e ofertas são parte importante da nossa intimidade com Deus e são praticados há muito tempo pelos servos do Senhor, como por exemplo Abraão que entregou dízimos a Melquisedeque (Gênesis 14.17 – 20).

Após a morte de Jesus e sua ressurreição ao terceiro, quando a Igreja se organizou, os cristãos continuaram com a prática de entregar ao Senhor os dízimos e ofertas.
Ou seja, é algo fundamental no nosso relacionamento com Deus e expressa o nosso amor ao Senhor até mesmo com os nossos bens.
Portanto, neste estudo bíblico nós veremos qual é a importância do dízimo na Bíblia e também das ofertas. Outro ponto muito importante é: como deve ser a ministração dos dízimos e ofertas do Senhor?
Muitos cristãos não compreendem a importância da contribuição financeira no Reino de Deus. A maioria questiona a práticas do dízimo no novo testamento. Portanto, leia até o final e descubra a importância de ser um dizimista fiel.
Dízimos e Ofertas: Dízimo na Bíblia
“Voltando Abrão da vitória sobre Quedorlaomer e sobre os reis que a ele se haviam aliado, o rei de Sodoma foi ao seu encontro no vale de Savé, isto é, o vale do Rei.
Então Melquisedeque, rei de Salém e sacerdote do Deus Altíssimo, trouxe pão e vinho e abençoou Abrão, dizendo: “Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, Criador dos céus e da terra.
E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou seus inimigos em suas mãos”. E Abrão lhe deu o dízimo de tudo. (Gênesis 14:17-20)
A palavra “dízimo” em hebraico é (ma’aser) que significa “a décima parte”. Como dito anteriormente, Abraão já tinha esta prática. Ou seja, não é algo que passou a existir com a Lei.
Um outro exemplo de liberalidade é o caso de Caim e Abel:“Passado algum tempo, Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao Senhor. Abel, por sua vez, trouxe as partes gordas das primeiras crias do seu rebanho. O Senhor aceitou com agrado Abel e sua oferta…” (Gênesis 4:3,4)
Embora a prática tenha início antes da Lei, a obrigatoriedade da entrega dos dízimos e ofertas veio com ela. Os israelitas deveriam entregar da décima parte e ofertas das crias de seus animais, da produção agrícola e de tudo aquilo que gerasse renda.
O objetivo era demonstrar gratidão a Deus pelas bênçãos divinas, como está escrito:
“Mas se for a cria de um animal impuro, poderá resgatá-la pelo valor estabelecido, acrescentando um quinto a esse valor. Se não for resgatada, será vendida pelo valor estabelecido.
“Todavia, nada que um homem possua e consagre ao Senhor, seja homem, seja animal, sejam terras de sua propriedade, poderá ser vendido ou resgatado; todas as coisas assim consagradas são santíssimas ao Senhor.
“Nenhuma pessoa consagrada para a destruição poderá ser resgatada; terá que ser executada.
“Todos os dízimos da terra, seja dos cereais, seja das frutas das árvores, pertencem ao Senhor; são consagrados ao Senhor.
Se um homem desejar resgatar parte do seu dízimo, terá que acrescentar um quinto ao seu valor.
O dízimo dos seus rebanhos, um de cada dez animais que passem debaixo da vara do pastor, será consagrado ao Senhor”. (Levítico 27:27-32)
Dízimos e Ofertas: Ministração de Dízimos e Ofertas
“Tanto a prata quanto o ouro me pertencem”, declara o Senhor dos Exércitos. (Ageu 2.8)
O objetivo de Deus com a instituição do dízimo é que ao entregar, nós reconhecemos que Ele é o Senhor de tudo.
Por meio do dízimo, somos gratos ao Criador por sua criação. Pelo ar que respiramos. Pela força que temos para produzir. Por aquilo que produzimos, enfim, por meio dos dízimos dizemos a Deus que tudo o que temos vem dele.
A exigência de Deus no dízimo é que devolvamos parte daquilo que temos recebido de suas mãos.
Dízimos e Ofertas: A importância das Ofertas
“Se a oferta for um holocausto do rebanho, quer de cordeiros quer de cabritos, oferecerá um macho sem defeito”. (Levítico 1.10)
Além da entrega dos dízimos, os israelitas eram incentivados a colocar diante do Senhor algumas ofertas voluntárias.
São elas:
·         oferta de holocaustos(Levíticos 6.8 – 13);
·         a oferta de manjares (Levíticos 6.14 – 23);
·         a oferta pacífica (Levíticos 7.11 – 21);
·         a oferta pelo pecado (Levíticos 6.24 – 30);
·         oferta pela culpa (Levíticos 7.1 – 10).
Além destas ofertas já determinadas, os israelitas tinham a opção de apresentar ao Senhor ofertas voluntárias, cujo momento e valor de entrega ficava a critério do ofertante.
Um bom exemplo disso é a construção do Tabernáculo no monte Sinai. Eles trouxeram suas ofertas para a construção da tenda, os moveis, as cortinas, etc.
A motivação em ofertar para a obra de Deus era tão grande, que Moisés precisou pedir que eles parassem de trazê-las.
Dízimos e Ofertas: Dízimo no Novo Testamento
“Portanto, dêem a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus”. (Lucas 20:25)
Uma das grandes questões teológicas dos nossos dias parece ser esta: “devemos entregar os dízimos nos dias de hoje, ou não? ”.
Esta dúvida ocorre, porque no Novo Testamento não fica tão claro, quanto no Antigo Testamento sobre esta obrigatoriedade.
Quando os apóstolos se reuniram em Jerusalém (Atos 15.19 – 23) para definir o que os cristãos gentios (não judeus) deveriam praticar, o dízimo não é citado.
No Novo Testamento a palavra dízimo aparece apenas uma vez, e é citada por Jesus Cristo:
“”Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês dão o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, mas têm negligenciado os preceitos mais importantes da lei: a justiça, a misericórdia e a fidelidade. Vocês devem praticar estas coisas, sem omitir aquelas”. (Mateus 23:23)
Ou seja, de certa forma aparece em um contexto de repreensão em que Jesus os critica. Porque embora eles sejam leais aos preceitos, continuam com uma atitude incorreta.
Sendo assim, devemos ou não entregar os dízimos e ofertas nos dias de hoje?
A resposta é sim, devemos!
Para ficar claro, é imprescindível que entendamos os princípios, funções e aplicações do dízimo. Para isso, vamos analisar o texto mais famoso sobre o assunto, Malaquias 3.8 – 15:
“Pode um homem roubar de Deus? Contudo vocês estão me roubando. E ainda perguntam: ‘Como é que te roubamos? ’ Nos dízimos e nas ofertas.
Vocês estão debaixo de grande maldição porque estão me roubando; a nação toda está me roubando.
Tragam o dízimo todo ao depósito do templo, para que haja alimento em minha casa. Ponham-me à prova”, diz o Senhor dos Exércitos, “e vejam se não vou abrir as comportas dos céus e derramar sobre vocês tantas bênçãos que nem terão onde guardá-las.
Impedirei que pragas devorem suas colheitas, e as videiras nos campos não perderão o seu fruto”, diz o Senhor dos Exércitos.
“Então todas as nações os chamarão felizes, porque a terra de vocês será maravilhosa”, diz o Senhor dos Exércitos.
“Vocês têm dito palavras duras contra mim”, diz o Senhor. “Ainda assim perguntam: ‘O que temos falado contra ti? ’
“Vocês dizem: ‘É inútil servir a Deus. O que ganhamos quando obedecemos aos seus preceitos e andamos lamentando diante do Senhor dos Exércitos?
Por isso, agora consideramos felizes os arrogantes, pois tanto prospera o que pratica o mal como escapam ilesos os que desafiam a Deus!’ ” (Malaquias 3:8-15)
O Senhor Deus acusa a nação de o estar roubando ao sonegar os dízimos e ofertas: “Pode um homem roubar de Deus? ‘Como é que te roubamos?’ Nos dízimos e nas ofertas.
Por que não entregar o dízimo é roubar a Deus? Por causa do propósito.
“Tragam o dízimo todo ao depósito do templo, para que haja alimento em minha casa”.
Quando entendemos este ponto tudo fica muito mais claro. O propósito de Deus no dízimo é que a sua obra seja mantida, como um todo.
Ele queria que sua obra fosse mantida no Antigo Testamento e continua querendo que ela seja mantida hoje, no Novo Testamento.
Ao entregarmos nossos dízimos e ofertas estamos sendo participantes do Reino de Deus. Nós o financiamos.
A partir daí podemos esperar que as promessas bíblicas decorrentes da contribuição, se cumpram em nossas vidas.
Promessas de Deus
“Tragam o dízimo todo ao depósito do templo, para que haja alimento em minha casa. Ponham-me à prova”, diz o Senhor dos Exércitos, “e vejam se não vou abrir as comportas dos céus e derramar sobre vocês tantas bênçãos que nem terão onde guardá-las.
Impedirei que pragas devorem suas colheitas, e as videiras nos campos não perderão o seu fruto”, diz o Senhor dos Exércitos.
“Então todas as nações os chamarão felizes, porque a terra de vocês será maravilhosa”, diz o Senhor dos Exércitos”. (Malaquias 3:10-12)
Quando nos tornamos participantes do Reino de Deus por meio dos dízimos a corrente de bênçãos sobrenaturais começam a ser liberadas sobre as nossas vidas.
Começamos a colher de uma forma extraordinária além daquilo que esperávamos ou merecíamos.
São oportunidades além das nossas capacidades. Portas abertas. Milagres. Enfim, fidelidade a Deus nos dízimos e ofertas proporcionam um mover sobrenatural nas nossas vidas.
O apóstolo Paulo fala sobre este mesmo princípio no Novo Testamento com relação as ofertas em 2 Coríntios 9.
Como Ser Um Dizimista Fiel?
Honre o Senhor com todos os seus recursos e com os primeiros frutos de todas as suas plantações; os seus celeiros ficarão plenamente cheios, e os seus barris transbordarão de vinho. (Provérbios 3:9,10)
Para conseguir entregar os dízimos e ofertas com fidelidade ao Senhor é necessário que essa seja a nossa prioridade.
O texto de provérbios deixa isso bem claro: “Honre o Senhor com todos os seus recursos e com os primeiros frutos de todas as suas plantações…”.
Nossos dízimos e ofertas honram a Deus. Portanto, a primeira parte da nossa renda deve ser consagrada a ele.
Ao receber seus recursos financeiros, sua primeira atitude deve ser a de separar as primícias para o Senhor.
Você não deve pensar primeiro em pagar as contas e depois honrar ao Eterno. Ao contrário, primeiro honre-o. Separe seu dízimo e oferta.
Para ser dizimista e ofertante precisamos nos organizar. Não podemos ser pessoas exageradamente consumistas, endividadas.
Devemos ser moderados nas nossas finanças e equilibrados nos nossos desejos para que o consumismo não se torne um ídolo e não tenhamos como honrar a Deus com nossas finanças.
Conclusão
Os dízimos e ofertas são uma parte essencial do cristianismo. É uma prática constante desenvolvida por cristãos fiéis. Através deles honramos a Deus com as nossas finanças e financiamos sua obra em todo o mundo.
As promessas de Deus com relação aos dízimos e ofertas são liberadas em nossas vidas, a partir da nossa fidelidade e compromisso com eles.
Se horarmos ao Reino de Deus com as nossas finanças certamente o Rei nos honrará e suprirá as nossas necessidades.
Ou seja, a liberalidade precisa ser uma prioridade em nossas vidas, só assim conseguiremos ser fiéis e não dominados pelo consumismo.
Se você deseja aprofundar seu conhecimento no assunto, eu recomendo que você assista a pregação: Uma questão de Honra, do Pastor Luciano Subirá. E a pregação do Reverendo Hernandes Dias Lopes: DIZIMAR E OFERTAR, SÃO PARA HOJE?  Acredito que vai enriquecer seu conhecimento.



Postagem em destaque

#VAMOSDARASMÃOSPARAVENCEROMALFAZENDOOBEM