terça-feira, 29 de maio de 2018


PREGAÇÃO PARA UM POVO REBELDE

Por Dr. R. L. Hymers, Jr.

“E disse-me: Filho do homem, eu te envio aos filhos de Israel, às nações rebeldes que se rebelaram contra mim; eles e seus pais transgrediram contra mim até este mesmo dia. E os filhos são de semblante duro, e obstinados de coração; eu te envio a eles, e lhes dirás: Assim diz o Senhor Deus. E eles, quer ouçam quer deixem de ouvir (porque eles são casa rebelde), hão de saber, contudo, que esteve no meio deles um profeta” (Ezequiel 2:3-5).



De novo e de novo na Bíblia nós vemos paciência surpreendente de Deus para humanidade rebelde. Antes de grande Dilúvio, Deus viu a maldade horrível da raça humana. Mesmo assim Deus hesitou Seu julgamento por 120 anos – então Noé, “um pregador de justiça,” poderia avisar eles (II Pedro 2:5). Depois Deus trouxe Seu povo fora de Egito com sinais e maravilhas poderosas. Mas eles retribuíram bondade Dele por murmurar e rebelar contra Moisés por 40 anos. De novo, quando Ele enviou Seu povo em cativeiro na Babilônia por pecado deles, Deus não abandonou eles. Ele enviou o profeta Ezequiel para pregar à eles, “Assim diz o Senhor Deus” (Ezequiel 2:4). Hoje nós estamos bem pertos de julgamento de Deus em fim do mundo. As nações do mundo estão em rebelião violento “contra o Senhor e contra o seu ungido, dizendo, Rompamos as suas ataduras, e sacudamos de nós as suas cordas” (Salmos 2:2, 3). Mas Deus ainda envia pregadores a avisar eles para “fugir da ira futura” (Mateus 3:7). Sim, até em estes tempos de peril, no fim do mundo, Deus ainda envia pregadores para avisar pecadores de futuro julgamento.
E assim, o pregador fiel pode aprender bastante lições desde o profeta Ezequiel. Eu darei você algum de istos em este sermão.
I. Primeiro, o pregador fiel aprende desde profeta que ele é enviado para falar à um povo rebelde.
Nosso texto diz,
“Filho do homem, eu te envio aos filhos de Israel, às nações rebeldes que se rebelaram contra mim; eles e seus pais transgrediram contra mim até este mesmo dia” (Ezequiel 2:3).
Nós nunca devemos pensar que os Judeus em cativeiro da Babilônia foram a única nação rebelde. Com certeza nós não devemos pensar assim! A palavra traduzida “nação” no texto não é a palavra em Hebreu geralmente usado por povo eleito de Deus. A palavra em Hebreu aqui é “goi.” Isto é a palavra que Judeus costumavam a descrever os Gentios, os pagãos, e o idólatra. Isto significa que Israel foi tão mal como os idólatras em Babilônia!
Que retrato de humanidade é isso! Nós somos uma raça rebelde! Que raça? A raça humana! Deus diz que nós somos um povo rebelde, “nações rebeldes que se rebelaram contra mim” (Ezequiel 2:3). A Bíblia diz, “Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas” (Isaías 53:6). A Bíblia diz, “Este povo é de coração rebelde e pertinaz” (Jeremias 5:23). A raça humana inteira tem andado desgarrado, rebelando e revoltando contra Deus! A Bíblia diz, “Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só” (Romanos 3:12). A Bíblia diz, “Como pela desobediência de um só homem, muitos foram feitos pecadores” (Romanos 5:19). Adão rebelou contra mandamento de Deus. Toda humanidade herdou rebelião contra Deus por natureza. Nós tornamos “por natureza filhos da ira” (Efésios 2:3). A Bíblia diz,
“Pois quê? Somos nós mais excelentes? De maneira nenhuma, pois já dantes demonstramos que, tanto judeus como gregos, todos estão debaixo do pecado; Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer. Não há ninguém que entenda; Não há ninguém que busque a Deus. Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só. A sua garganta é um sepulcro aberto; Com as suas línguas tratam enganosamente; Peçonha de áspides está debaixo de seus lábios; Cuja boca está cheia de maldição e amargura. Os seus pés são ligeiros para derramar sangue. Em seus caminhos há destruição e miséria; E não conheceram o caminho da paz. Não há temor de Deus diante de seus olhos” (Romanos 3:9-18).
Tudo isso vem para nós desde Adão. Nós herdamos rebelião contra Deus por ele em nossa natureza. Dr. Martyn Lloyd-Jones disse,
Esta descrição de homem em pecado é a verdade simples, a verdade horrível. Isto é o que pecado tem nos trazido para…Tomara que Deus nos condena pelo Espírito Santo se nós nunca havemos sido condenados antes de ver o que nós somos por natureza – os filhos de ira, até como outros.
Isto é a evolução de Deus do homem em pecado. Isto não é um retrato bonito, mas isto é um exato. Eu comecei com 17 anos pensando que pessoas iriam facilmente ser salvos. Mas eu estava errado. Meu primeiro sermão foi rejeitado, e eu fui contado de nunca pregar de aquela maneira novamente. Mas o “líder de jovem” quem disse a mim que foi um perverso, molestou crianças na igreja. Então Deus me contou, “Não ouve a ele, Roberto.” No seminário o professor de pregação disse, “Você é um bom pregador, mas você está ganhando reputação mal como um problemático.” Ele disse isto porque eu respondia professores quem estavam atacando a Bíblia. Por isso eu trabalhei com outro pregador alcançando Hippies perto de San Francisco. Aquele pregador continuou a criticar meus sermões – tanto que eu finalmente demiti desde aquela igreja e vim para casa em Los Angeles. Mais tarde eu achei que este pregador estava tendo sexo com várias garotas na igreja. Então eu fiquei sabendo porque ele criticou meus sermões. Ele não gostou de ser condenado de pecado.
Muitos pregadores nunca captam a mensagem. Eles seguem curiosos porque pessoas não ouvem à eles. Mas a resposta está bem aqui, na página de nossa Bíblia. Deus envia nós “às nações rebeldes que se rebelaram contra [Ele]” (Ezequiel 2:3). E eu concordo com o comentário de Dr. McGee em este versículo. Ele disse,
As pessoas mais difíceis de alcançar com o Evangelho são os membros de igreja…Ainda que eles estão na igreja, eles são atualmente contra Deus…Eles não querem mais vir e dizer que eles são pecadores perdidos…Eles são pessoas duras de alcançar, e meu coração vai para meus irmãos quem estão em ministério hoje – eles estão sentados em um assento quente. E eu aconselharia qualquer homem jovem quem está considerando o ministério para ter certeza de sua chamada. Talvez ele deveria vender seguro ou outra coisa ao invés de entrar em ministério. Para estar em ministério hoje não é fácil se você vai estar firme por a Palavra de Deus (J. Vernon McGee, Th.D., Thru the Bible, Thomas Nelson Publishers, 1982, volume III, p. 444; note on Ezekiel 2:3-4).
O que Dr. McGee descreveu? Ele descreveu igrejas cheio de pessoas perdidas. Eles houveram tudo feito por “decisão” – mas “eles são atualmente contra Deus.” Isto é o caso em igrejas por toda América!
Agora eu chego a você, e eu digo isto a você pessoalmente. Você é rebelde contra Deus. É por isso que você permanece não salvo. Você cria todo tipo de escusa, mas seu coração est[a em rebelião contra Deus. Você sente pena de você mesmo, mas seu coração é totalmente rebelado contra Deus. Você não tem lamentado por seu pecado. Você não tem magoado sob seu rebelião. Você segue indo, com um rosto impudente, desafiando o Deus vivo! E eu direi você exatamente aonde você vai ir. Existe somente um lugar aonde você poderia possivelmente ir – e isto é Inferno! Se você nunca veio abaixo de convicção, e se você nunca lamentou sob seus pecados, você nunca sentirá qualquer necessidade verdadeiro por Cristo – e você continuará em seu rebelião até Deus tirar a tomada – e você vai para o fundo do dreno – dentro de fogo que nunca será apagado!
II. Segundo, o pregador fiel aprende desde profeta a continuar pregando a Palavra de Deus.
Deus disse para Ezequiel,
“E os filhos são de semblante duro, e obstinados de coração; eu te envio a eles, e lhes dirás: Assim diz o Senhor Deus. E eles, quer ouçam quer deixem de ouvir...” (Ezequiel 2:4-5a).
Deus fala comigo em uma maneira maravilhosa através da Bíblia. Em dias de Ezequiel Ele falou diretamente para ele, pela revelação imediata. Agora Deus fala para nós através da Palavra escrita, a Bíblia – mesmo que eu posso pensar de dois ocasiões separadas quando Deus bem definitivamente falou para mim através de sonhos. Eu justamente li o testemunho de um Muçulmano jovem quem foi convertido ao Cristo através de sonhos (Christianity Today, January/February 2014, pp. 95, 96). Deus muitas vezes faz isto na terra de Muçulmanos, e outras partes do Terceiro Mundo. Mas quase sempre Deus fala para nós através da Palavra escrita – a Bíblia.
Desde o profeta, nós aprendemos à dizer, “Assim diz o Senhor.” Nós dizemos isto na autoridade da Bíblia. “Toda a Escritura é divinamente inspirada” (II Timóteo 3:16). Deus me mostrou esta verdade no dia que eu fui salvo, 28 de Setembro, 1961. Eu honestamente posso dizer que eu nunca tenho duvidado que Deus deu as palavras Hebreu e Grego desde aquele dia à este! Quando eu me levantei para pregar eu podia falar com uma voz forte e dinâmico por que eu não estou pregando minhas próprias palavras. Eu estou pregando as palavras de Deus – “Assim diz o Senhor Deus” (Ezequiel 2:4).
Eu não estou dando você uma teoria quando eu digo para você que seu pecado mandará você para Inferno. Eu estou dizendo você o que a Palavra de Deus diz. Como toda autoridade, e sem dúvida ligeira, eu posso dizer ao você, “Irão estes para o tormento eterno” (Mateus 25:46). Eu não posso ser parado de dizer que pelo Fuller Seminary, Rob Bell, Joel Osteen, ou o Papa em Roma. Eu tenho a Palavra de Deus na minha mão. E como o profeta Ezequiel, Deus tem me chamado para proclamar isto à você – palavra por palavra! “Assim diz o Senhor” – “Irão estes para o tormento eterno.”
Você diz, “eu não acredito em isto!” Isto não muda nem um pedaço de mim! Com o profeta, eu sou chamado de pregar isto, “quer ouçam quer deixem de ouvir” (Ezequiel 2:5). Em Inglês moderno – “quer ouçam ou não.” Eu não sento para preparar um sermão e pensar sobre o que você quer ouvir! Eu nunca faço isto – e eu nunca irei! Eu pergunto para Deus o que você precisa ouvir. Depois eu encontro a passagem certa na Bíblia, e prego isto para você. Aceite isto ou não! Quer ouçam ou não! “Quer ouçam quer deixem de ouvir.” Amém! Você é pecador. Você é perdido, atado, um escravo ao pecado. Você não consegue ser livre! Você está destinado ao lago de fogo! Eu digo isto para você, ou você ouvirá ou você irá deixar de ouvir, ou você gosta isto ou não, ou você acredita em isto ou não, ou você atua em isto ou não, ou você me elogia ou me chinga. Porquê? Para que “eles saber que existia um profeta entre eles” – é por isto! Deus me enviou para dizer estas coisas de forma que você irá estar sem escusa. Minhas mãos estão limpos. Eu tenho dito à você o que Deus diz. Aceite isto ou não. Mas no Inferno você não poderá argumentar ou reclamar. Você saberá que existia um profeta entre você – um homem quem disse à você a verdade desde a Palavra de Deus.
Você deve ser bem forte para pregar assim. Ninguém gosta de ser encontrado com culpa. Ninguém gosta de ser criticado e ridicularizado. Eu devo livremente admitir que eu tenho muitas vezes sentido devastado por crítica embaraçoso. Algumas vezes eu tenho sentido como rastejando longe e escondendo em uma caverna como Elías. Mas “uma voz mansa e delicada” chamou Elías, e disse, “Que fazes aqui, Elias?” (I Reis 19:12, 13). Assim eu drago eu próprio fora, e começo a pregar de novo. E em aqueles tempos Deus parece à dizer para mim, como Ele fez para Ezequiel,
“Eis que fiz duro o teu rosto contra os seus rostos, e forte a tua fronte contra a sua fronte. Fiz como diamante a tua fronte, mais forte do que a pederneira; não os temas, pois, nem te assombres com os seus rostos, porque são casa rebelde” (Ezequiel 3:8, 9).
Até pregadores verdadeiros tivem que passar por certo de esta experiência difícil. Se ele não faz, e não entregar-se, ele vira um profeta falso.
III. Terceiro, o pregador fiel aprende desde o profeta que, apesar de desencorajamentos, algumas almas irão ser salvos.
Se nós pregamos como nós deveríamos, nós iremos encontrar com bastante desencorajamentos em este tempo corrupto. Deus disse para Ezequiel,
“E tu, ó filho do homem, não os temas, nem temas as suas palavras; ainda que estejam contigo sarças e espinhos, e tu habites entre escorpiões, não temas as suas palavras, nem te assustes com os seus semblantes, porque são casa rebelde. Mas tu lhes dirás as minhas palavras, quer ouçam quer deixem de ouvir, pois são rebeldes” (Ezequiel 2:6-7).
Ainda que ele irá viver entre espetos e espinhas e escorpiões, nada deve mover o pregador verdadeiro desde seu cargo sagrado. Sim, proclamando a Palavra de Deus é de fato um cargo sagrado. E existirá alguém qual coração o Senhor abrirá para ouvir o que nós pregamos e ser salvo (Acts 16:14, 15). Deus disse para Ezequiel que alguém quem teve escutado ele “certamente viverá; porque foi avisado” (Ezequiel 3:21).
Eu preguei com meu coração nas ruas em downtown Los Angeles no começo de 1960. Pessoas gritavam à mim, jogaram coisas à mim, e me chamaram de louco. Mas um homem idoso vestido em um terno e gravata negro escutou-me pregar por vários dias, e me convidou para ter um jantar em seu apartamento amável. Sua esposa estava lá. Ela era a diretora de uma das nossas escolas de colegial. Este casal gentil me deu um jantar maravilhoso, enquanto o homem idoso disse para sua esposa o que ele teve escutado eu pregar na rua. Eles trouxeram seu álbum de fotos e me mostraram fotos de seu pai, quem havia sido um pastor antigo Prebiteriano. Na fechada de noite o homem idoso disse para mim que ambos ele e sua esposa estiveram falando sobre meus sermões da rua. Ele disse que eles haviam me convidado para casa deles porque eles ambos queriam ser salvos – e eles queriam que eu liderasse eles para Cristo! Eu tinha somente 22 anos de idade. Eu nunca tive liderado uma pessoa idosa à confiar Jesus. Todos nós ajoelhamos, e eu liderei eles para Jesus. Quando nós levantamos eles tiveram lágrimas correndo em seus rostos. Eles eram membros de Immanuel Presbyterian Church na Wilshire Blvd., mas eles nunca foram sidos salvos. Uma experiência como esta faz todo o ridículo e o abuso de um mundo perdido parecer como nada – pela alegria de ver alguém chegar para o Salvador! Deus me deu estas duas almas, Mr. e Mrs. Alan Black. Isto fez toda a pregação que eu fiz nas ruas de Los Angeles parecer como a coisa mais maravilhosa que um jovem poderia fazer com sua vida!
Então eu fui para o seminário liberal Batista, norte de San Francisco. Os três anos que eu passei lá foram realmente horríveis. Eu literalmente odiei estando lá, escutando eles rasgar a Bíblia à parte dia após dia. Eu mantive por a Palavra de Deus, e eles me trataram como eu fosse mentalmente disturbado. Isto ficou tão mal no último ano que eu pensei que eu não iria formar. Mas eu me formei. Depois, olhando atrás em estes tempos diabólico, eu realizei que dois homens foram salvos pelo meu testemunho. Um foi um homem Coreano, e o outro foi um homem de sul, quem teve sido um Batista por sua vida sem ser salvo. Ambos eles vieram para mim com lágrimas correndo ao bochecha deles, me agradecendo por manter a verdade em Evangelho e dizer eles a necessidade por salvação. Seus nomes eram Gil e Moon. Eu nunca esquecerei deles! Salvação deles fez todo o dor de coração de este seminário liberal valer apena!
Quando eu estava lá, em Marin County, eu conduzi uns carros cheios de jovens no outro lado de Golden Bridge em direção à cidade de San Francisco cada Sexta-feira de noite. Eu preguei na rua enquanto eles distribuiram folhetos e falaram com as pessoas. Uma noite eles trouxeram um menino à mim. Ele disse à mim que ele estava em drogas, heroin, gastando cada dia por vários cem dolares. Ele teve que ser malandro e roubar para suportar seu hábito de droga. Ele disse, “Pregador, por favor ajude me. Eu quero me endireitar.” Eu levei ele para minha casa de carro. Eu provavelmente estaria com medo de fazer isso agora, mas eu coloquei ele na cozinha do meu apartamento. Ele gritou e chutou e vomitou no chão por vários dias enquanto ele estava purificando-se de drogas. Finalmente ele ficou quieto. Ele veio para nossa igreja. Quando eu deixei San Francisco, eu perdi contato com ele. Vinte cinco anos passaram-se. Uma noite telefone tocou na minha oficina aqui na igreja. Era ele! Eu perguntei para ele aonde ele estava. Ele me disse que ele estava casado e vivendo em Florida. Ele teve duas crianças e ele ensinou na Escola Dominical em igreja dele. Eu cheguei em casa desde igreja esta noite andando nas nuvens! Oh, que felicidade o pregador sente quando alguém vive “porque foi avisado” pelo homem de Deus (Ezequiel 3:21).
E você? Eu tenho dado você minha história como um pregador. Estes dois capítulos de Ezequiel têm significado bastante à mim por últimos cinquenta anos, desde a primeira vez que eu escutei Dr. J. Vernon McGee ensinar esta passagem de Escritura no rádio. Estes versículos têm sempre estado atrás de minha cabeça durante todas estas décadas de pregar o Evangelho – de dizer pecadores que Jesus morreu na Cruz para pagar por pecado deles; de dizer eles como Ele ressucitou desde a morte, agora está vivo no Céu; de chamar eles para arrepender-se de pecado deles e crer no Salvador. Você confiará Jesus hoje à noite? Se você fazer isto me faria tão feliz – e isto faria você feliz também – por todo tempo e por toda eternidade!
Se você gostaria de falar com nós sobre ser salvo por Jesus, por favor deixe seu asento e ande para trás de este auditório agora. Mr. John Samuel Cagan levará você para outro quarto aonde nós podemos orar e conversar. Dr. Chan, por favor ore que alguém virá para Jesus esta noite. Amém.

PLANO DE
PREGAÇÃO PARA UM POVO REBELDE
PREACHING TO A REBELLIOUS PEOPLE
por Dr. R. L. Hymers, Jr.
“E disse-me: Filho do homem, eu te envio aos filhos de Israel, às nações rebeldes que se rebelaram contra mim; eles e seus pais transgrediram contra mim até este mesmo dia. E os filhos são de semblante duro, e obstinados de coração; eu te envio a eles, e lhes dirás: Assim diz o Senhor Deus. E eles, quer ouçam quer deixem de ouvir (porque eles são casa rebelde), hão de saber, contudo, que esteve no meio deles um profeta” (Ezequiel 2:3-5).
(II Pedro 2:5; Salmos 2:2, 3; Mateus 3:7)
I.   Primeiro, o pregador fiel aprende desde profeta que ele é enviado
para falar à um povo rebelde, Ezequiel 2:3; Isaías 53:6; Jeremias
5:23; Romanos 3:12; 5:19; Efésios 2:3; Romanos 3:9-18.
II.  Segundo, o pregador fiel aprende desde profeta a continuar
pregando a Palavra de Deus, Ezequiel 2:4-5a; II Timóteo 3:16;
Mateus 25:46; I Reis 19:12, 13; Ezequiel 3:8, 9.
III. Terceiro, o pregador fiel aprende desde o profeta que, apesar de
desencorajamentos, algumas almas irão ser salvos, Ezequiel 2:6-7;
Atos 16:14, 15; Ezequiel 3:21.




sexta-feira, 25 de maio de 2018

A Cura de um Cego de Nascença

A cura de um Cego de Nascença é uma das mais belas histórias da Bíblia. A cura do cego, se dá nas águas do Tanque de Silo é.
Um recipiente quadrangular, medindo 25 metros de comprimento por 5 metros de largura e 5 metros de profundidade.
A água vinha de um canal subterrâneo, com 530 metros de comprimento, da fonte chamada Virgem, localizada mais ao norte do vale de Cedrom. Esse túnel, descoberto em 1886, foi construído por ordem do rei Ezequias.
O texto do livro de João cap. 9, inicia afirmando que Jesus, passando, viu um cego de nascença. Ali estava aquele homem. Nasceu cego. Cresceu cego. Não sabia ler nem escrever. Não tinha utilidade para a sociedade judaica.
Atualmente os cegos podem aprender, ler e escrever, pois há o sistema Braille. Mas no tempo de Jesus os cegos não tinham valor algum. E nascendo cego, eram logo apontados como sendo castigados por pecados.
O Tanque de Siloé próximo à Cidade de Davi.

Este homem, cego, que havia passado toda sua vida na escuridão, era visto assim. Seu sofrimento era relacionado com castigo. E se estava sendo castigado, porque então ajudar? Assim permanecia abandonado, sozinho, dependendo da caridade e da compaixão de quem por ele passasse.
É interessante que Jesus andando, o viu. Isso porque Jerusalém era uma grande cidade. E em meios urbanos, com muitas aglomerações, muita gente nas ruas, é difícil ser notado. Veja por exemplo as grandes capitais do Brasil.
Multidões passam de um lado para o outro sem se importar com a vida de quem quer que seja. No meio de tanta gente, porém sempre sentimos como que sozinhos. Porque as pessoas se importam no máximo com seus familiares ou amigos, o restante é apenas a multidão.
Mas Jesus não vê multidões. Jesus vê cada indivíduo. E Jesus prendeu sua atenção naquele pobre homem cego de nascença. Aí os seus discípulos, que estavam imersos na crença da "causa e efeito", já começaram a indagá-lo, com um julgamento errado:
"E os seus discípulos lhe perguntaram, dizendo: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?" João 9:2
E nós, seres humanos, somos assim mesmo, implacáveis! Julgamos o que não sabemos, condenamos com preconceitos. Tratamos com indiferença, vemos multidões, não enxergamos o cuidado que cada ser individualmente necessita.
Mas Jesus parou, para falar com o cego de nascença. Isso é realmente maravilhoso! Jesus se importa com cada ser humano. Sem distinção. O mestre mostra aos seus discípulos que não havia nenhum castigo e nenhuma maldição hereditária sobre a vida daquele homem.
Ao contrário, havia, na realidade humana daquela geração, uma cegueira muito mais profunda e pavorosa do que aquela em que se deixa de ter a visão física desta realidade.
"Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus." João 9:3
A pior cegueira é aquela em que se deixa de enxergar o sentido real da vida. Pela reação dos fariseus à cura daquele pobre homem cego de nascença ( pois se deu num sábado ), podemos ver em quão densas trevas eles estavam.
Levando uma vida sem nenhum sentido nobre e real, eles se prenderam a legalismos e rituais pesados. Deixaram esfriar o amor nos corações e se esqueceram do principal da lei, que era o perdão e a misericórdia.
Então alguns dos fariseus diziam: Este homem não é de Deus, pois não guarda o sábado. Diziam outros: Como pode um homem pecador fazer tais sinais? E havia dissensão entre eles." João 9:16
Jesus Cura o Cego de Nascença.

Para estes Jesus se declara como o sentido real, pelo qual eles deveriam viver e caminhar, para que não andassem mais em trevas. Assim como declarou numa ocasião imediatamente anterior:
"Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida." João 8:12
De forma que, quem tem a Jesus como norte, como rumo, passa a enxergar e nunca andará confuso ou em escuridão.
Ao preparar-se para realizar mais um milagre em seu ministério, Jesus aproveita a oportunidade para trazer lições morais valiosíssimas. Ele poderia ter simplesmente declarado a cura imediata do cego de nascença, como fez em outras situações.
Mas a cegueira estava relacionada a verdades mais profundas. Jesus queria não só curar a cegueira material, palpável, como também abrir os olhos espirituais do cego e de todos demais. Assim o lodo feito com sua saliva, passa a representar a cegueira espiritual, que precisava ser lavada.
"Tendo dito isto, cuspiu na terra, e com a saliva fez lodo, e untou com o lodo os olhos do cego. E disse-lhe: Vai, lava-te no tanque de Siloé (que significa o Enviado)." João 9:6
Deste modo o homem cego de nascença, parte para lavar o lodo de seus olhos, no Tanque de Siloé, para que uma vez curado, possa também ter um rumo a seguir, um norte para se guiar, ao passo que Jesus se apresenta como tal direção e como sentido supremo da vida.
Sua visão se abriu de tal forma que, diferente dos seus pais, ele não temeu ao ser interrogado pelos fariseus. Ele fez uma declaração que mostrou que a sua cura total, era incontestável.
"Respondeu ele pois, e disse: Se é pecador, não sei; uma coisa sei, é que, havendo eu sido cego, agora vejo." João 9:25
E Jesus estava aparte, vendo aquilo tudo, sereno, calmo. Quando soube que o expulsaram do templo, se apresenta a ele. E aquele que não era mais cego conseguiu enxergar também, aquilo que toda a casta religiosa de Israel não teve capacidade de ver.
"E Jesus lhe disse: Tu já o tens visto, e é aquele que fala contigo. Ele disse: Creio, Senhor. E o adorou." João 9:37-38
É preciso ver e enxergar o sentido espiritual dos fatos. Algo que os olhos humanos pouco conseguem ver. Devemos sempre pedir a Deus que remova o lodo que nos impede de ver o seu propósito.
Jesus veio para possamos ver, mas, muitos infelizmente permanecem perdidos, em trevas, cegos, muito embora seus olhos funcionem muito bem.



terça-feira, 22 de maio de 2018

O HOMEM DE DEUS...
1. Deve ter a intimidade com Deus como Enoque...”. Antes de falar ao povo sobre Deus, o homem de Deus precisa falar com Deus, entrar no Santo dos Santos confiado na perfeita obra de Cristo. Observemos o que o escritor aos Hebreus diz: “Tendo, pois, irmãos intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela Sua carne, e tendo grande sacerdote sobre a casa de Deus, aproximemo-nos, com sincero coração, em plena certeza de fé, tendo o coração purificado  de má consciência e lavado o corpo com água pura. Guardemos firme a confissão da esperança, sem vacilar, pois quem fez a promessa é fiel (10.19-23).
2.  Deve ter a fé de Abraão que não sabia para onde ia, mas sabia com quem ia...O homem de Deus anda por fé e não por vista...Lutero dizia: “A única fé que salva é a daquele que se atira em Deus, para viver ou morrer”.
3. Deve ter a persistência de Jacó que lutou com o Anjo até que fosse abençoado...O verbo permanecer (João 15, em 10 versos, 11 vezes) deve ser o estilo de vida do homem de Deus. Tamberlane, um revolucionário na euroasia, fugindo dos seus algozes, entrou numa gruta onde entrava uma tira de sol. Ele observou uma formiga subindo a pequena rocha com um pedacinho de folha 69 vezes...
4. Deve ter a pureza e a coerência de José, que não abriu a guarda para a entrada de uma linda mulher...Ele é um dos nossos exemplos de dizer não à sensualidade. Num apelo feito no avivamento das Ilhas Hébridas, um líder disse: “Irmãos, se não levarmos uma vida reta diante de Deus, será uma falsidade clamarmos por um avivamento, dia e noite, meses e meses seguidos. Temos que perguntar a nós mesmos: meu coração está puro? Minhas mãos estão limpas?”
5. Deve ter a confiança que Davi colocou no Senhor quando foi lutar com o gigante Golias...Confiança é fruto da fé. O homem de Deus confia não para receber, mas para honrar o seu Deus. Os fundamentos da confiança estão na obra perfeita, do Cristo perfeito na cruz.
6. Deve ter a coragem de Elias que pregou contra a casa de Acabe e Jezabel, enfrentando os 450 profetas de Baal. Não podemos, em hipótese nenhuma, ser coniventes com o pecado. Não podemos retroceder diante do combate a toda a forma de erro. Dentro deste contexto Ravenhill nos chama a atenção para algumas coisas muito relevantes:
a) Assim que Deus abre as janelas do céu para nos abençoar, o inimigo abre as portas do inferno para nos intimidar;
b) O pregador talvez agrade o povo, mas o profeta o contrariará; o mero pregador é aclamado; o profeta de Deus é perseguido.

c) O preço é elevado. Deus não quer ser apenas nosso sócio; quer ser o nosso proprietário;
d) Elias viveu com Deus. Ele via o pecado da nação como Deus via. Entristecia-se por causa dele, do modo como Deus se entristecia; repreendeu o pecado do modo como Deus repreendia. 

7.  Deve ser como Isaias que teve a consciência de sua impureza diante da visão da santidade de Deus, assentado sobre um alto e sublime trono que, como resultado: visão da necessidade do povo de Deus e da missão dada pelo Senhor.“Em cada um de nós existem três pessoas: a que nós achamos que somos; a que os outros pensam que somos, e a que Deus sabe que somos”. O profeta Isaias profetizava e olhava para o Cristo que se manifestaria no tempo determinado por Yaweh. Somos desqualificados naturalmente para realizarmos a obra de Deus.
8. Deve ser como Jeremias que chorou pelo povo, que preferiu o exílio a negociar os valores do Reino de Deus...Que sofrimento este profeta teve. Quantas angústias no coração! “Corações que não choram nunca poderão ser arautos da Paixão de Cristo” (JH Jowett)
9. Deve ser como Malaquias que denunciou os pecados do sacerdócio judaico de sua época. Que teve a coragem de chamar o povo judaico de ladrão por não dizimar... Que profeta precioso este profeta de Deus. Um homem intrépido, ousado, resolvido e profundamente comprometido com o Senhor. O profeta foi chamado não para agradar a homens, mas ao Senhor. O caráter do profeta deve ser fruto do caráter de Deus que o chamou.
10. Deve ser como João Batista que apontou para Jesus, preparou o Seu caminho e preferiu morrer denunciando o pecado de Herodes Antipas a experimentar o politicamente correto...Ele não fazia média. Não negociava princípios cristãos. Um homem espiritual, ético, corajoso e que amava profundamente o seu Senhor. João se auto-negava. Dr. Charles Inwood disse: “Irmãos e irmãs, a autonegação é o principio ético básico da Igreja Cristã”. João Batista não queria ser popular...Zepp dizia: “Que Deus nos ajude a querer ser populares no lugar onde a popularidade realmente conta: junto ao trono de Deus”.
11. Deve ser como Mateus que saiu da comodidade da coletoria para viver do ministério, servindo ao seu Rei...Usado pelo Espírito para escrever um evangelho precioso.
12.  Dever ser como João Marcos que apresentou Jesus como o Filho do Homem...A sua imaturidade no início quando causou problemas entre Paulo e Barnabé, foi transformada na maturidade para escrever o evangelho de Cristo precioso.
13. Deve ser como o médico Lucas que revelou Cristo como o Servo...Não ficou satisfeito em servir com médico, mas foi usado pelo Espírito para revelar a vida de Jesus, o médico de almas.
14. Deve ser como João, que apresentou Jesus como o Filho de Deus, o Cordeiro de Deus...Um homem que começou a seguir a Cristo a partir do barco de pesca, seguiu-O pelos caminhos do deserto e das cidades, pagando o preço por seguir a servir a Cristo sendo exilado na Ilha de Patmos.
15. Deve ser como Paulo que, sendo Saulo, seguia uma religião, mas, sendo alcançado por Cristo passou a percorrer o caminho do sofrimento por Cristo, a pagar o preço do compromisso com Cristo às raias da morte e que vivia Cristo com intensidade para morrer por, em e com Ele (Fil 1.21; Gl 2.20). Que pregou de Jerusalém a Roma a Palavra da cruz, que é loucura para os que perecem...(1 Co 1.18).
16. Deve ser como Jesus que preferiu fazer a vontade do Pai a Sua. Que foi manso e humilde de coração. Que veio dar a Sua vida por nós... Que morreu de coerência... Que nos ensinou a amar os nossos inimigos, bendizer os que nos maldizem, a perdoar os que nos ofendem, a caminhar a segunda milha, a sofrer calado, a não se defender, a orar pelos seus algozes...
17.   Aqui estão os nossos referenciais, modelos, exemplos. Tudo o que precisamos como homens de Deus está nas Escrituras, na Palavra revelada. TODOS ESTES MODELOS, REFERENCIAIS NOS APONTAM PARA CRISTO, O AUTOR E CONSUMADOR DE NOSSA FÉ. NOSSO SENHOR – AQUELE QUE ERA, QUE É E QUE HÁ DE VIR COM PODER E GRANDE GLÓRIA PARA DAR A CADA UM DE NÓS A RECOMPENSA POR SUAS OBRAS A PARTIR DA FÉ. 


Como saber se alguém é um homem de Deus?
Tem se tornado muito comum entre nós, cristãos evangélicos, rotular pessoas como “homens ou mulheres de Deus”. Isto ocorre porque em muitas ocasiões ouvimos uma palavra “ungida” e entendemos que é o suficiente para elegermos aquela pessoa um “homem ou mulher de Deus”. Será que é tão simples assim? Devemos ser ingênuos e simplistas nesta avaliação? Será que todos são de fato “de Deus”? Como reconhecer uma pessoa verdadeiramente de Deus? Para facilitar nossa reflexão, usarei, com sua permissão, apenas o termo homem de Deus, mas estarei me referindo a ambos os sexos.
Muitas pessoas hoje estão buscando um título religioso, pois isto dá um certo “status” e “regalias” no contexto social em que vivemos, especialmente nas igrejas. Algumas pessoas têm sido ordenadas sem a mínima condição (este tipo de ordenação é duvidosa em sua validade) e sem o mínimo de treinamento para desempenhar tão nobre função. Na verdade tem se banalizado a condição de pastores e pastoras como homens de Deus. Há também que se destacar, alguns que se auto-ordenam e outros que são falsos pastores travestidos de homens de Deus.
Nós, cristãos, precisamos ser cuidadosos em rotular pessoas como “homens de Deus” e até de recomendá-los como pregadores. Neste campo é preciso muito cuidado e cautela.
Quais são as características de um falso “homem ou mulher de Deus”?
·         Seu forte são os dons e não o caráter – Muitas destas pessoas têm um dom especial de Deus, mas não desenvolveram um caráter aprovado pelas escrituras. Não tem cobertura espiritual e não são discipulados. Conseguem atrair multidões com seus dons, mas mancham o evangelho com seu mau caráter. Estes trazem grandes prejuízos ao Reino de Deus.
·         Amor e apego ao dinheiro – Normalmente são pessoas que usam o ministério com a motivação pessoal de enriquecimento ilícito.
·         A família não participa de seu ministério – Infelizmente nestes casos alguns destes “homens de Deus” sempre viajam sem a família ou pelo menos sem a esposa. O ministério está dissociado de seu lar.
·         Vida sexual duvidosa – Alguns destes têm uma vida sexual duvidosa e misteriosa. Como não se abrem com ninguém, e quase nada se sabe sobre sua prática nesta área.
·         Ensinos heréticos travestidos de espiritualidade – São especialistas em ensinos de relevância no contexto bíblico. Falam com muita propriedade sobre o Reino de Deus, atacam a concepção bíblica de cobertura espiritual e discipulado, aprovam o novo casamento em qualquer circunstância, exacerbam de modo antibíblico a doutrina da graça, enfatizam a guarda do sábado, etc., porém sempre instalam uma heresia em seus ensinos.
·         São proselitistas – Os falsos homens de Deus” são aqueles que procuram atrair as pessoas após si. Lutam para tirá-los de suas congregações ao denegrir seus pastores e igrejas.
Como identificar um “homem de Deus”?
Primeiramente é necessário não se empolgar com as pessoas pela aparência e pelos dons. Isto é apenas um aspecto e por incrível que pareça, não é o mais importante. Vamos ver alguns sinais que podem nos ajudar a reconhecer um verdadeiro homem de Deus:
1.     Caráter – Um “homem de Deus” de verdade é uma pessoa marcada por um bom caráter. Um homem cheio de dons, mas sem caráter é um potencial destruidor da obra de Deus. II Rs 5:15,16
2.     Obediência – Todo “homem de Deus” é marcado por um espírito submisso às autoridades. Ele tem cobertura espiritual e é obediente ao seu discipulador e às autoridades sobre ele constituídas. Saul é um exemplo oposto de obediência. A obediência é mais importante que sacrifícios e serviço para Deus. I Sm 15:22,23
3.     Fidelidade – A fidelidade é outra característica marcante nestas pessoas. São fiéis ao seu Deus e à Sua Palavra, ao seu casamento, à sua liderança, à sua igreja e aos seus discípulos.  I Co 4:1,2
4.     Irrepreensibilidade – A irrepreensibilidade não é sinônimo de perfeição, mas revela uma característica fundamental em um homem de Deus, pois até quando ele erra, ele toma as decisões certas, se arrependendo e corrigindo seus erros. Ser irrepreensível é buscar andar em harmonia com os ensinos da Palavra de Deus. Lc 1:5.6
5.     Maturidade – Outra forma de identificar um verdadeiro “homem de Deus” é constatando sua maturidade na condução de sua vida e de seu ministério. Não se deve atribuir este título a pessoas imaturas e inconsequentes. Ef 4:12,13
6.     Família – Esta é um dos mais marcantes sinais na vida de alguém que merece o reconhecimento de “homem de Deus”. É uma das condições que o apóstolo Paulo apresenta para alguém poder estar no ministério. I Tm 3:1-7; I Tm 5:8
7.     Dons – Os dons são muito importantes e eu diria que são a cereja do bolo para a celebração do ministério de um “homem de Deus”. Não é a base, mas é muito importante e útil. Rm 11:29
Com esta reflexão, a intenção é dupla:
1.     Identificar os verdadeiros “homens de Deus” para não me alimentar da palavra contaminada e não ser iludido e enganado por sinais e prodígios realizados por homens supostamente “de Deus”. Já dizia a sabedoria popular: “nem tudo que brilha é ouro”. É importante que honremos as pessoas que conhecemos e convivemos. Às vezes, temos muita facilidade de honrar e reconhecer como “homens de Deus” pessoas que nem conhecemos direito e desonramos quem está próximo de nós, pagando um alto preço por nossas vidas. Honre seu pastor, seu líder e seu discipulador. Eles são os verdadeiros “homens de Deus”!
2.     Avaliar se estou sendo, de fato, uma pessoa de Deus. Antes de mais nada, preciso avaliar a minha própria condição e diante de Deus, em sinceridade e honestidade, procurar me conformar com os requisitos bíblicos para me tornar uma verdadeira pessoa de Deus, para glorificá-lo sempre em minha vida.
Que Deus nos abençoe e nos faça homens e mulheres cheios do Espírito Santo e dos dons, mas que as marcas maiores sejam as que revelam a nossa relação de obediência aos requisitos bíblicos que podem nos aprovar, acima de tudo, aos olhos de Deus, mas também aos olhos das pessoas, como verdadeiros “homens e mulheres de Deus”.



quarta-feira, 16 de maio de 2018

O Homem Que Perdeu Um Encontro Importante

Leitura: João 20:19-31
Texto: João 20:24

Introdução: A história de nossa leitura bíblica ilustra muito claramente o que um discípulo do Senhor em qualquer era pode perder ao se ausentar da casa do Senhor por apenas um culto. Em nossa sociedade moderna, com tantos afazeres e compromissos a cumprir, com tantas pressões de muitos lados diferentes, parece tão fácil faltar um culto ou uma série de cultos, pensando que o efeito não será adverso a nossa vida espiritual, e que com facilidade poderemos repor o perdido futuramente. Experiência vista após os anos nos ensina que é diferente, bem diferente, e que muitas vezes a indiferença traz consequências totalmente desastrosas, até a perda da alma e a vida eterna.
Tomé, o homem que perdeu um encontro muito importante. Não sabemos a razão por  que ele não estava presente. Entendemos porque alguns se ausentam da casa do Senhor e os cultos, pois é difícil saber se Jesus está presente ou não. Pelo menos Ele não é reconhecido ou permitido a manifestar Si Mesmo aos congregantes. Mas na história que consideramos hoje, foi bem diferente, uma bem aventurança inesperada. Jesus apareceu, falou aos seus discípulos, os abençoou, e os comissionou.
Veja a seguir tudo que Tomé perdeu por faltar e não estar presente neste encontro:
I.                  Tomé Perdeu A Doce Comunhão Com O Mestre E Com Os Demais Discípulos.
A.   “...estando os discípulos reunidos...” (João 20:19)
1.     A igreja oferece comunhão.
2.     A igreja oferece conforto e consolação.
3.     A igreja oferece inspiração.
B.   Apesar do seu medo, os discípulos estavam reunidos.
II.               Tomé Perdeu Uma Oportunidade De Ver Jesus.
A.   “...chegou Jesus,pôs-se no meio...” (João 20:19)
1.     É maravilhoso quando Jesus aparece na igreja.
2.     Devemos ser fiéis aos cultos, pois não sabemos quando Ele fará uma visita especial.
3.     Não temos como adivinhar quando Jesus fará outra visita igual.
4.     Quer que Jesus faça a visita para sua igreja e não encontrar você? Como poderia explicar isto? Jesus aceitaria suas escusas? Não esquece que Ele sonda e conhece os corações.
III.           Tomé Perdeu a Bênção de Paz.
A.   “Paz seja convosco.” (João 20:19 e 21)
1.     Há sempre uma perda para o nosso homem espiritual quando nós nos ausentamos da comunhão dos outros membros do corpo de Cristo.
IV.           Tomé Perdeu A Revelação Do Corpo Ressurreto de Jesus Cristo.
A.   “...mostrou-lhes as mãos e o lado.” (João 20:20)
1.     Como é normalmente o caso, Tomé perdeu a ocasião de ver exatamente o que precisava ver para fortalecer sua fé.
V.               Tomé Perdeu O Pronunciamento Da Grande Comissão.
A.   “...assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós.”
1.     Este evento nunca pôde ser refeito. Quem sabe que isto seja a razão por que não ouvimos quase nada acerca de Tomé mais tarde.
VI.           Tomé Perdeu A Oportunidade De  Ter Sua Fé Fortalecida.
A.   “Diziam-lhe, pois, os outros discípulos: Vimos o Senhor. Ele, porém, lhes respondeu: Se eu não ver o sinal dos cravos nas suas mãos, e não meter o dedo no lugar dos cravos, e não meter a mão no seu lado, de maneira nenhum crerei.” (João 20:25)
VII.        Tomé Perdeu O Assopro Do Espírito Santo. (João 20:22)
A.   “E havendo dito isto, assoprou sobre ele e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo...” (João 20:22)
Conclusão: Tomé perdeu um encontro sobrenatural e manifestação do Senhor Jesus Cristo ressurreto. Aqueles que perdem por qualquer razão o que Deus reservou para eles, quase nunca jamais podem recobrar o perdido.

Nota do autor:
Experiências com a que segue entristecem profundamente o coração de qualquer um que é pastor de verdade. Que a história verídica que segue lhe encoraje a ser mais e mais fiel a Deus, pois a vinda do Senhor se aproxima rapidamente: Após um culto de domingo de noite, chegou para mim uma senhora da igreja que me informou que estava passando por algumas dificuldades na sua vida e que por isso iria se ausentar dos cultos por algumas semanas. Eu me apavorei com esta declaração e a roguei que não fizesse isto, pois era espiritualmente perigosa e que a melhor maneira para vencer os problemas seria de estar na igreja com seus companheiros de fé. falei com o Pastor da Igreja para convencê-la que na igreja haveria a força para vencer, haveria o encorajamento preciso, a oração uníssona de pessoas vitoriosas, a pregação animadora da Palavra de Deus, entre muitas outras vantagens. Mas, infelizmente não acatou as palavras de um Irmão que procurou zelar por sua alma, e teimosamente começou se ausentar da igreja. Hoje, faz alguns anos desde que aconteceu este triste incidente, e até hoje ela não retornou para louvar e adorar a Deus no seu santuário. Hoje, sua família está sendo criada fora da igreja, longe de Deus, e sem dúvida alguma os problemas de hoje são bem maiores do que os pequeninhos que levou esta senhora ausentar-se da casa de Deus. Não deixe nada neste mundo lhe afastar da comunhão da igreja, dos irmãos, da Palavra de Deus, da comunhão com Deus e as demais coisas que Deus quer operar milagrosamente na sua vida!
Convido vocês hoje para chegar até este altar onde podem consagrar novamente suas vidas ao Senhor e O prometer a sua fidelidade em tudo que Ele quer e exige, inclusive a sua fiel assistência e participação em todos os trabalhos da igreja. Sua alma merece isto. Faça por amor da sua alma.
Reflexão para uma vida espiritual na presença de Deus pela palavra de Jesus, em que não devemos perder nada que sai de sua boca, qual a diferença de está presente e não está quando Ele se manifesta aos servos?


Postagem em destaque

A PAZ SEJA CONVOSCO AMÉM INTERCEDA